DRYWALL DIMINUI O TEMPO DA CONSTRUÇÃO

✔️O uso de drywall é um verdadeiro trunfo na hora de construir, principalmente quando o assunto é o tempo de duração da obra. Afinal, levantar paredes com as chapas chega a ser cinco vezes mais rápido do que fazer o mesmo processo por meio do tradicional método de alvenaria. Em apenas um dia de trabalho, dois montadores conseguem erguer cerca de 30 m² de parede com o sistema drywall, obtendo um resultado altamente preciso.😉😉

✔️O sistema de paredes drywall, por ser um processo construtivo á seco, dispensa os longos períodos de cura, além disso o sistema é mais leve sendo mais fácil de transportar e instalar. Por ser um sistema construtivo modulado e industrializado, reduz as perdas economizando tempo de transporte horizontal e vertical e o descarte das sobras.😱😱

Para mais informações e pedido de orçamento fale conosco pelo whatsapp https://wa.me/5511956185104…

Acesse nosso site http://www.elegancyforros.com.br

Anúncios

7 vantagens das paredes de drywall

Olá pessoal, vocês sabem o que é drywall?? 🤔🤔
O termo drywall designa um sistema de construção a seco, pois não utiliza água em sua montagem: as placas de gesso acartonado são parafusadas em perfis metálicos que já vão prontos para a obra.
 
Dessa forma, o uso do sistema drywall permite uma construção muito mais limpa em relação à execução de paredes convencionais, já que não demanda a utilização de argamassa ou outro material e gera menos entulho que a alvenaria convencional, sendo que os resíduos são recicláveis.
drywall-ou-alvenaria-materiais-drywall
Agora quer conhecer as 7 vantagens de se construir com sistema drywall?? Vamos lá então, segue abaixo…

1 – Em projeto: menor espessura, maior área útil

 

parede-de-alvenaria-ou-drywall-esquema-de-montagem-drywall

parede de alvenaria ou drywall: esquema de montagem parede drywall

O sistema drywall permite construir paredes com menor espessura que as paredes convencionais em alvenaria de tijolos.

Com paredes mais estreitas, ganha-se aproximadamente 5% de área útil no projeto. À primeira vista esse percentual pode parecer baixo, mas na verdade esse número pode fazer a diferença principalmente quando se tratam de apartamentos com área pequena, em que todo acréscimo de espaço disponível é muito bem-vindo.

2 – Em projeto: soluções mais criativas

 

drywall-ou-alvenaria-parede-com-curvas

drywall ou alvenaria: paredes curvas em drywall

O sistema drywall permite soluções criativas e diversificadas que podem personalizar os seus projetos. O drywall pode ser utilizado para a construção de paredes curvas, recortes para iluminação embutida em painéis e muito mais.

O drywall também pode ser utilizado para construção de itens de mobiliário como prateleiras, estantes e nichos, elementos que muitas vezes acabam por onerar o custo do projeto dependendo do material e acabamento escolhido.

3 – Durante a obra: rapidez e limpeza na montagem

Além das vantagnes do drywall em relação a limpeza da obra, a facilidade de corte e manuseio do produto e a leveza do drywall permitem que uma parede nesse material seja executada com muito mais rapidez e praticidade, reduzindo assim o tempo de obra e os custos com os prestadores de serviço.

5 – No resultado final: resistência ao fogo

 

drywall-ou-alvenaria-parede-resistente-ao-fogo

drywall ou alvenaria: parede em chapas de drywall com resistência ao fogo

Naturalmente o drywall já possui características em sua composição que reduzem a propagação das chamas.

Porém, quando necessário, paredes em drywall podem apresentar o efeito retardante ao fogo, ou seja, impedir seu alastramento, sendo muito recomendado para saídas de emergência ou em áreas de grande risco de incêndio, já que é capaz de “segurar” o fogo por até 90 minutos.

Para esse tipo de uso é necessário especificar tipos especiais de placas de drywall, conhecidas como drywall rosa. A grande vantagem, além da praticidade de instalação do material, é o valor relativamente baixo se comparado às outras técnicas de isolamento.

Não sabe qual sistema de Drywall usar? Siga o passo a passo para a especificação do Drywall Knauf.

6 – No resultado final: isolamento de ruídos

 

drywall-ou-alvenaria-drywall-com-protecao-acustica

drywall ou alvenaria: drywall com proteção acústica

Os sistemas drywall conseguem melhor isolamento do som e contribuem para o conforto nos ambientes no que se refere à transmissão de ruídos.

O produto já apresenta bom isolamento acústico, porém pode-se aumentar o rendimento incluindo entre as chapas materiais fibrosos, como lã de rocha ou lã de vidro, atribuindo características de atenuação e isolamento de sons.

Portanto, é possível obter um ótimo isolamento acústico e térmico, dependendo da estrutura interna projetada. Para verificação dos índices termoacústicos dos diferentes tipos de chapas, as empresas disponibilizam tabelas com o desempenho de cada produto.

7 – Pós-obra: manutenção e reparos

 

drywall-ou-alvenaria-manutencao

parede de alvenaria ou drywall: o drywall possui fácil manutenção e reparos

Uma grande vantagem do uso do sistema drywall está na fase pós-obra, quando surgem eventuais necessidades de manutenção e reparos, como na ocasião de vazamentos de água, por exemplo.

Nesse caso, rasga-se apenas a parte necessária para o acesso à tubulação e conserto do encanamento, sendo possível posteriormente fechar a abertura com o mesmo pedaço de chapa existente.

Dessa forma, tem-se uma rápida e total reconstituição da parede, sem o tradicional e incômodo “quebra-quebra” e sujeira das manutenções em paredes comuns de tijolos ou blocos.

Fonte: Viva Decor


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados abaixo que retornaremos:

5 tipos de iluminação para a sala

Iluminação é um detalhe muito importante para a composição de um ambiente. A seguir, te damos dicas sobre o assunto para você arrasar na decoração.

Pensar numa boa iluminação nem sempre é prioridade pra quem está de mudança ou redecorando a casa. Mas, como já diria o ditado “luz é vida”, e, aqui, luz também é um detalhe que pode transformar sua residência!

Quer saber como? Então dá uma conferida nessas sugestões de iluminação para salas de estar e jantar que separamos para você!

Diferente do que muita gente pensa por aí, iluminação é um dos itens mais importantes e que deve ser levado em consideração na escolha de uma casa, inclusive na decoração. Isso porque com um simples clique no interruptor, você pode criar desde ambientes românticos para um filme a dois, quanto um encontro aconchegante com a família toda reunida.

A primeira coisa que você deve fazer é verificar quanto de luz natural está entrando na sua casa. Se você tem como aproveitar a claridade do dia na sua residência, não pense duas vezes e use! Afinal, nenhuma luz, por mais poderosa que seja, pode substituir a praticidade e economia da luz solar.

Mas, se não houver essa possibilidade, fica tranquilo porque nós temos várias soluções legais.

1. Iluminação Direta ou Iluminação Indireta

É na sala que a família se reúne para um filme, que os amigos batem papo e que acontece até mesmo reuniões. Ou seja, podemos dizer que é praticamente o coração da casa de tão frequentado! E é justamente por ser um lugar que atende a todas as necessidades da sua família que o projeto de luz deve ser bem flexível.

Para uma boa iluminação na sala de estar é indispensável uma luz geral para o ambiente, podendo optar por essas luminárias de teto mais discretas e com o alcance mais amplo. Para um clima mais acolhedor, a iluminação com gesso é ótima, usando sancas, arandelas ou algum outro ponto de luz embutido no gesso.

Já a iluminação de destaque serve para colocar em evidência alguns itens da decoração, ou seja, são luminárias direcionais e de pequeno alcance. Só escolha com cuidado o objeto a ser destacado e o direcionamento da luz para não gerar reflexos inoportunos.

2. Tipo de lâmpada

Dentre os diferentes tipos de lâmpadas comercializadas, as mais comuns são: incandescentes, LED e fluorescentes.

As lâmpadas incandescentes gastam menos energia e possuem luz amarelada. Já as fluorescentes são muito econômicas e duram mais, possuem versão com luz amarela e luz branca, ideal para quem deseja criar vários pontos de iluminação diferentes.

Enquanto isso, as opções de LED são altamente duráveis e consomem pouquíssima energia para fornecer luz, também são encontradas em versão branca ou amarela.

As lâmpadas com cor amarela também deixam o ambiente mais aconchegante, mas se a ideia é criar uma iluminação para 2 ambientes, então misture as duas cores de lâmpadas, para ter um ambiente adequado para qualquer tipo de necessidade.

3. Cor das paredes

Esse item não tem como errar. Vamos começar repetindo uma das dicas mais faladas por aqui: ambiente claro e bem iluminado dá sensação de amplitude. Já as paredes mais escuras absorvem luz, por isso se esse for o seu caso, invista em lâmpadas mais fortes e em luminárias maiores, para garantir que cada pedacinho do ambiente esteja iluminado.

Nesse momento, a cor da lâmpada também é importante.Imagina uma parede azul iluminada por uma lâmpada amarela, o efeito será uma parede verde e sua sala perderá um pouco da sua essência. Vai mudar a cor da lâmpada ou a cor de parede? Já sabe, pesquise os efeitos de cada luz em diferentes cores.

4. Espaço e disposição

Relembrando a dica anterior, se sua sala não é muito espaçosa, invista em tons mais claros, elementos espelhados e uma luz principal no centro, que é ideal para iluminação de apartamentos pequenos. Nos sofás, é interessante usar pontos de luz de destaque caso alguém queira realizar uma leitura ou prefere uma luz mais baixa.

Para ambientes maiores, sua única preocupação é ter uma boa luz geral que alcance todo o espaço. Fora isso, brinque a vontade com luzes de destaque.

Se na sua casa a sala de estar e de jantar compartilham o mesmo ambiente, então uma novidade é usar spots. O uso de spots para iluminação de dois ambientes é bem versátil e democrático. Uma opção é usar o spot para a sala de estar e um pendente menor para a sala de jantar bem próximo a mesa.

5. Acessórios

Definido o projeto principal de iluminação, agora você pode usar e abusar de luzes de contrastes em objetos menores, que servem também de elementos decorativos. Veja algumas opções:

– Pendentes: Luminárias pendentes servem para dar destaque a luz principal do cômodo. São ideais para mesas de jantar ou cantos de leitura, mas também ficam super legais ao lado da cama, como decoração.

– Lustres: São os astros principais de uma sala de estar. Além de servir como iluminação direta, causa aquele impacto elegante e sofisticado.

– Spots: Os spots são pequenos pontos de luz embutidos no teto. Sozinhos, são responsáveis por uma iluminação mais intimista, perfeitos para quem quiser criar um clima romântico e confortável.

– Arandelas: Com diferentes modelos no mercado, as arandelas ficam lindas na parede composta por quadros ou num cantinho de luz mais baixa, para relaxar. Com lâmpadas amarelas, essa luminária também consegue criar uma atmosfera íntima.

Essas são as principais, mas outras duas opções também estão ganhando cada vez mais espaço nas casas brasileiras:

– Luminárias de chão: Dessas altas, com a base num tripé, deixa o ambiente descolado na medida certa;

– Trilho com spots direcionáveis: é uma opção maravilhosa para ambientes pequenos e compartilhados, pois como já diz o nome, você mesmo pode direcionar para onde quiser. Prático e funcional.

Está querendo mudar alguma coisa na sua casa e não sabe por onde começar? Vai se mudar? Então comece pela iluminação e deixe sua casa brilhar como ela merece!

Crédito: imóvel web

Drywall, construção sem sujeira!

 

Não faz muito tempo que só mencionar a instalação de gesso já causava arrepios em qualquer proprietário em fase de planejamento de reforma em seu imóvel, por conta da sujeira e da dificuldade de encontrar uma mão de obra confiável e minimamente limpa e organizada. Era praticamente obrigatório realizar este serviço antes mesmo da instalação do piso, pois o transtorno com a bagunça e a poeira era impeditivo em uma casa já mobiliada.

Mas como o mercado de arquitetura e construção civil evolui a todo instante, o segmento do gesso também se rendeu a uma solução mais limpa, rápida e eficiente, com uma gama superior de aplicações que vão muito além dos tradicionais forros, sancas e molduras de gesso em tetos. No Brasil, o Drywall já está no mercado há 15 anos, mas se tornou popular apenas nos últimos 3, durante o período de maior aquecimento do setor de construção civil.

10

O gesso comum é comercializado em chapas simples, compostas pelo material puro prensado, sem grande resistência mecânica e à umidade, e necessita ser alinhado e plumado, portanto, com mão de obra mais trabalhosa e resultado mais demorado (7 dias em média é o tempo total de secagem).

Gesso-multi

O drywall, ou gesso acartonado, consiste em chapas com miolo recheado por gesso aditivado, revestidas por papel cartão em ambas as faces (daí o nome de gesso acartonado), conferindo maior resistência mecânica, rapidez (sua secagem demora  em média 1 dia) e limpeza na instalação (praticamente seca, fixada por perfil, montante, parafusos, fita, etc.). Utilizadas em painéis simples ou duplos, com espessuras variadas, além da aplicação convencional do gesso comum, em decoração de tetos, também podem formar paredes, divisórias, painéis, nichos e estantes que substituem a alvenaria em projetos arrojados, com sua versatilidade que permite a realização de recortes, desníveis e curvas.

Além da resistência mecânica já existente pela composição e forma de instalação (suporta 10 Kg por m2), os painéis de drywall podem ser reforçados por perfis metálicos adicionais em sua montagem (podendo chegar a suportar até 60 kg por m2).  É um sistema de construção seca, fácil de montar e desmontar, seu uso proporciona ganho de área útil devido a sua espessura fina, e também é mais inteligente na hora de se fazer instalações elétricas e hidráulicas, pois facilita a execução de rasgos, recortes e remendos.

A moderna tecnologia do drywall ainda permite isolamento acústico e conforto térmico. Apesar da fina espessura, a proteção sonora é, no mínimo, igual às paredes convencionais. Dependendo das especificações, aliado a acessórios específicos para este fim (poliuretano expandido, mantas de lã) pode tornar-se muito superior. Com relação ao conforto térmico, as propriedades das chapas de gesso contribuem para regular e estabilizar a temperatura. Mais fresco no verão e mais aquecido no inverno.

Outra vantagem importante é a característica ecologicamente correta e sustentável do material, pois seus componentes são recicláveis e suas matérias-primas não causam descartes tóxicos. Além disso, seu transporte é mais econômico devido a sua leveza.

Existem 3 tipos de placas, diferenciadas por suas cores e utilizações. As brancas (ST), usadas em forros e paredes de ambientes secos, são as mais comuns. As verdes (RU), indicadas para aplicação em áreas úmidas como cozinhas, banheiros e lavanderias, são compostas por silicone e aditivos fungicidas. As rosas (RF), por apresentar fibra de vidro em sua composição, são resistentes ao fogo, e por isso recomendadas para áreas com lareira e bancadas de cooktop.

Mas, como todo benefício tem um custo, o material, apesar de ter ganhando espaço, ainda é mais caro do que o gesso convencional (em média 20 a 30%, podendo chegar a 50% a mais). Encontrar mão de obra especializada também ainda é um fator complicador, porém, como hoje em dia grande parte dos prestadores de serviços neste segmento está abandonando definitivamente o método mais trabalhoso e demorado, substituindo-o pela resistência, praticidade, limpeza, versatilidade e rapidez do drywall, a tendência é que a busca por qualificação e a concorrência aumentem, e os preços por metro quadrado caiam. Se comparado com a alvenaria, seu custo é inferior.

Conhecendo suas características, vemos que com o drywall fica mais simples pensar em deixar sua casa mais charmosa e funcional. Mesmo já morando no imóvel, devido à limpeza e praticidade deste sistema cada vez mais utilizado em projetos de decoração, é possível fazer aquela reforma que você sempre sonhou mas achava que teria de se mudar para realizar, e o melhor, a um custo viável e em pouco tempo!

Fonte: adrimar construtora


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

CORTINEIRO DE GESSO: DETALHE QUE FAZ A DIFERENÇA

O forro de gesso pode ter muito mais utilidade do que você imagina. Pensado em conjunto com essa técnica, o cortineiro de gesso é capaz de criar um acabamento perfeito na sua cortina e deixar o ambiente ainda mais bonito.

 

Esse recurso é muito usado para esconder imperfeições e apresenta três modelos diferentes. Conheça e veja qual deles se encaixa melhor na sua casa! Embutido O cortineiro aproveita o gesso já construído e a cortina é instalada entre a parede e o forro (veja na foto). É um modelo mais moderno e pode ser utilizado também em uma sanca aberta. Se for iluminado, fica ainda mais charmoso e aconchegante!

Embutido

thinkstockphotos-497665566_0 (1)O cortineiro aproveita o gesso já construído e a cortina é instalada entre a parede e o forro (veja na foto). É um modelo mais moderno e pode ser utilizado também em uma sanca aberta. Se for iluminado, fica ainda mais charmoso e aconchegante!

 

Sobreposto

cortineiro-gesso-11Essa versão utiliza uma moldura de gesso abaixo do forro e, por isso, o cortineiro fica aparente, mas esconde o trilho da cortina e fica lindo! É bom ressaltar que a peça usada para a moldura pode ser lisa ou desenhada. Essa última opção oferece uma elegância a mais ao cortineiro.

O melhor é que esse modelo pode servir também para ambientes sem forro. Basta fixar o cortineiro no teto!

Iluminado

img17Se o cortineiro for embutido, você pode optar por incluir também uma iluminação. O mais bacana é que as luzes tiram proveito da cortina, que passa a refletir e distribuir a luz.

Essa iluminação pode ser mais intensa para dar suporte às luzes do ambiente ou mais leve para criar um efeito moderno e acolhedor.

Você não vai se arrepender de aderir a essa técnica. Fica um encanto!

Fonte: Placo


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve entraremos em contato:

CRIE A SUA SALA DE TV DOS SONHOS COM DRYWALL

Fim de semana chuvoso e você não quer mais nada na vida além de assistir ou seu filme ou a sua série favorita. O problema é quando até o seu momento sagrado de lazer sofre interrupções.

 

É o barulho do vizinho com sua música altíssima ou a reforma do apartamento ao lado que deixa os diálogos na sua TV inaudíveis. Às vezes, você quer simplesmente ouvir todas as explosões do seu filme de ação em alto e bom som sem atrapalhar os demais.

Para todas essas situações, o drywall é a solução ideal. Isso porque essas placas de gesso podem ter incrível desempenho acústico, o que faz delas a melhor solução para a sua sala de TV.

images (3)

Veja a Phonique, por exemplo. Esse produto é tão eficiente que é muito usado em quartos de hotel e em hospitais, onde a paz de hóspedes e pacientes é um item sagrado. Outra opção é o Flexwall, uma placa de drywall revestida que já vem prontinha, basta aplicá-la como revestimento das paredes. O melhor é que já vem em três cores, dando mais opções estéticas para você.

Além disso, as placas de drywall são fáceis de ser aplicadas e as obras não levantam aquela sujeirada toda comum quando usados os sistemas convencionais, principalmente alvenaria.

fonte: Placo

Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

DIFERENÇAS ENTRE DRYWALL E AS PLAQUETAS DE GESSO

Muitas pessoas tendem a confundir o drywall com as plaquetas de gesso. Nada mais normal, até porque a matéria-prima básica de ambos os produtos é o próprio gesso. Mas há diferenças importantes que fazem toda a diferença na hora de projetar e executar uma obra.

2012-spain-plasterboard-4light

 

images (1)

Plaquinha de gesso

A primeira delas diz respeito à própria dimensão dos produtos. A plaqueta costuma ser comercializada em placas quadradas, de 60 cm x 60 cm. Já o drywall tem, por padrão, mais que o dobro do tamanho: 120 cm x 180 cm ou 120 cm x 240 cm. Isso significa muito mais economia e melhor aproveitamento do material.

 

 

 

download

Placas de drywall

Outra diferença está na geração de resíduos. O drywall é constituído por placas de gesso acartonado, que produzem muito menos detritos na instalação. Essa característica se reflete ainda no momento de realizar reparos. Os recortes nas plaquetas produzirão muito mais sujeira que os realizados no drywall.

 

Somado a isso está o fato de que o drywall pode substituir paredes convencionais em inúmeras situações, enquanto os forros de gesso têm a instalação limitada ao revestimento de tetos.

Fonte: Placo

Tem mais alguma dúvida? Entre em contato com a gente. Será um prazer ajudar você a realizar suas instalações com drywall! Deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos: