Drywall, construção sem sujeira!

 

Não faz muito tempo que só mencionar a instalação de gesso já causava arrepios em qualquer proprietário em fase de planejamento de reforma em seu imóvel, por conta da sujeira e da dificuldade de encontrar uma mão de obra confiável e minimamente limpa e organizada. Era praticamente obrigatório realizar este serviço antes mesmo da instalação do piso, pois o transtorno com a bagunça e a poeira era impeditivo em uma casa já mobiliada.

Mas como o mercado de arquitetura e construção civil evolui a todo instante, o segmento do gesso também se rendeu a uma solução mais limpa, rápida e eficiente, com uma gama superior de aplicações que vão muito além dos tradicionais forros, sancas e molduras de gesso em tetos. No Brasil, o Drywall já está no mercado há 15 anos, mas se tornou popular apenas nos últimos 3, durante o período de maior aquecimento do setor de construção civil.

10

O gesso comum é comercializado em chapas simples, compostas pelo material puro prensado, sem grande resistência mecânica e à umidade, e necessita ser alinhado e plumado, portanto, com mão de obra mais trabalhosa e resultado mais demorado (7 dias em média é o tempo total de secagem).

Gesso-multi

O drywall, ou gesso acartonado, consiste em chapas com miolo recheado por gesso aditivado, revestidas por papel cartão em ambas as faces (daí o nome de gesso acartonado), conferindo maior resistência mecânica, rapidez (sua secagem demora  em média 1 dia) e limpeza na instalação (praticamente seca, fixada por perfil, montante, parafusos, fita, etc.). Utilizadas em painéis simples ou duplos, com espessuras variadas, além da aplicação convencional do gesso comum, em decoração de tetos, também podem formar paredes, divisórias, painéis, nichos e estantes que substituem a alvenaria em projetos arrojados, com sua versatilidade que permite a realização de recortes, desníveis e curvas.

Além da resistência mecânica já existente pela composição e forma de instalação (suporta 10 Kg por m2), os painéis de drywall podem ser reforçados por perfis metálicos adicionais em sua montagem (podendo chegar a suportar até 60 kg por m2).  É um sistema de construção seca, fácil de montar e desmontar, seu uso proporciona ganho de área útil devido a sua espessura fina, e também é mais inteligente na hora de se fazer instalações elétricas e hidráulicas, pois facilita a execução de rasgos, recortes e remendos.

A moderna tecnologia do drywall ainda permite isolamento acústico e conforto térmico. Apesar da fina espessura, a proteção sonora é, no mínimo, igual às paredes convencionais. Dependendo das especificações, aliado a acessórios específicos para este fim (poliuretano expandido, mantas de lã) pode tornar-se muito superior. Com relação ao conforto térmico, as propriedades das chapas de gesso contribuem para regular e estabilizar a temperatura. Mais fresco no verão e mais aquecido no inverno.

Outra vantagem importante é a característica ecologicamente correta e sustentável do material, pois seus componentes são recicláveis e suas matérias-primas não causam descartes tóxicos. Além disso, seu transporte é mais econômico devido a sua leveza.

Existem 3 tipos de placas, diferenciadas por suas cores e utilizações. As brancas (ST), usadas em forros e paredes de ambientes secos, são as mais comuns. As verdes (RU), indicadas para aplicação em áreas úmidas como cozinhas, banheiros e lavanderias, são compostas por silicone e aditivos fungicidas. As rosas (RF), por apresentar fibra de vidro em sua composição, são resistentes ao fogo, e por isso recomendadas para áreas com lareira e bancadas de cooktop.

Mas, como todo benefício tem um custo, o material, apesar de ter ganhando espaço, ainda é mais caro do que o gesso convencional (em média 20 a 30%, podendo chegar a 50% a mais). Encontrar mão de obra especializada também ainda é um fator complicador, porém, como hoje em dia grande parte dos prestadores de serviços neste segmento está abandonando definitivamente o método mais trabalhoso e demorado, substituindo-o pela resistência, praticidade, limpeza, versatilidade e rapidez do drywall, a tendência é que a busca por qualificação e a concorrência aumentem, e os preços por metro quadrado caiam. Se comparado com a alvenaria, seu custo é inferior.

Conhecendo suas características, vemos que com o drywall fica mais simples pensar em deixar sua casa mais charmosa e funcional. Mesmo já morando no imóvel, devido à limpeza e praticidade deste sistema cada vez mais utilizado em projetos de decoração, é possível fazer aquela reforma que você sempre sonhou mas achava que teria de se mudar para realizar, e o melhor, a um custo viável e em pouco tempo!

Fonte: adrimar construtora


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

Anúncios

CORTINEIRO DE GESSO: DETALHE QUE FAZ A DIFERENÇA

O forro de gesso pode ter muito mais utilidade do que você imagina. Pensado em conjunto com essa técnica, o cortineiro de gesso é capaz de criar um acabamento perfeito na sua cortina e deixar o ambiente ainda mais bonito.

 

Esse recurso é muito usado para esconder imperfeições e apresenta três modelos diferentes. Conheça e veja qual deles se encaixa melhor na sua casa! Embutido O cortineiro aproveita o gesso já construído e a cortina é instalada entre a parede e o forro (veja na foto). É um modelo mais moderno e pode ser utilizado também em uma sanca aberta. Se for iluminado, fica ainda mais charmoso e aconchegante!

Embutido

thinkstockphotos-497665566_0 (1)O cortineiro aproveita o gesso já construído e a cortina é instalada entre a parede e o forro (veja na foto). É um modelo mais moderno e pode ser utilizado também em uma sanca aberta. Se for iluminado, fica ainda mais charmoso e aconchegante!

 

Sobreposto

cortineiro-gesso-11Essa versão utiliza uma moldura de gesso abaixo do forro e, por isso, o cortineiro fica aparente, mas esconde o trilho da cortina e fica lindo! É bom ressaltar que a peça usada para a moldura pode ser lisa ou desenhada. Essa última opção oferece uma elegância a mais ao cortineiro.

O melhor é que esse modelo pode servir também para ambientes sem forro. Basta fixar o cortineiro no teto!

Iluminado

img17Se o cortineiro for embutido, você pode optar por incluir também uma iluminação. O mais bacana é que as luzes tiram proveito da cortina, que passa a refletir e distribuir a luz.

Essa iluminação pode ser mais intensa para dar suporte às luzes do ambiente ou mais leve para criar um efeito moderno e acolhedor.

Você não vai se arrepender de aderir a essa técnica. Fica um encanto!

Fonte: Placo


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve entraremos em contato:

CRIE A SUA SALA DE TV DOS SONHOS COM DRYWALL

Fim de semana chuvoso e você não quer mais nada na vida além de assistir ou seu filme ou a sua série favorita. O problema é quando até o seu momento sagrado de lazer sofre interrupções.

 

É o barulho do vizinho com sua música altíssima ou a reforma do apartamento ao lado que deixa os diálogos na sua TV inaudíveis. Às vezes, você quer simplesmente ouvir todas as explosões do seu filme de ação em alto e bom som sem atrapalhar os demais.

Para todas essas situações, o drywall é a solução ideal. Isso porque essas placas de gesso podem ter incrível desempenho acústico, o que faz delas a melhor solução para a sua sala de TV.

images (3)

Veja a Phonique, por exemplo. Esse produto é tão eficiente que é muito usado em quartos de hotel e em hospitais, onde a paz de hóspedes e pacientes é um item sagrado. Outra opção é o Flexwall, uma placa de drywall revestida que já vem prontinha, basta aplicá-la como revestimento das paredes. O melhor é que já vem em três cores, dando mais opções estéticas para você.

Além disso, as placas de drywall são fáceis de ser aplicadas e as obras não levantam aquela sujeirada toda comum quando usados os sistemas convencionais, principalmente alvenaria.

fonte: Placo

Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

DIFERENÇAS ENTRE DRYWALL E AS PLAQUETAS DE GESSO

Muitas pessoas tendem a confundir o drywall com as plaquetas de gesso. Nada mais normal, até porque a matéria-prima básica de ambos os produtos é o próprio gesso. Mas há diferenças importantes que fazem toda a diferença na hora de projetar e executar uma obra.

2012-spain-plasterboard-4light

 

images (1)

Plaquinha de gesso

A primeira delas diz respeito à própria dimensão dos produtos. A plaqueta costuma ser comercializada em placas quadradas, de 60 cm x 60 cm. Já o drywall tem, por padrão, mais que o dobro do tamanho: 120 cm x 180 cm ou 120 cm x 240 cm. Isso significa muito mais economia e melhor aproveitamento do material.

 

 

 

download

Placas de drywall

Outra diferença está na geração de resíduos. O drywall é constituído por placas de gesso acartonado, que produzem muito menos detritos na instalação. Essa característica se reflete ainda no momento de realizar reparos. Os recortes nas plaquetas produzirão muito mais sujeira que os realizados no drywall.

 

Somado a isso está o fato de que o drywall pode substituir paredes convencionais em inúmeras situações, enquanto os forros de gesso têm a instalação limitada ao revestimento de tetos.

Fonte: Placo

Tem mais alguma dúvida? Entre em contato com a gente. Será um prazer ajudar você a realizar suas instalações com drywall! Deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

 

 

 

4 dicas de economia infalíveis para a reforma de casas

Há um ponto sobre reforma e construção quase unânime para quem quer renovar o lar, principalmente no fim do ano: descobrir os segredos de fazer muito, mas gastando pouco. Se você também busca soluções econômicas, confira as dicas abaixo e inicie hoje mesmo seu orçamento de obras para a tão desejada transformação!

Planejamento é a chave do sucesso

A melhor forma de aliar beleza e qualidade a um orçamento reduzido é planejar. Isso ainda ajuda a evitar surpresas desagradáveis durante a obra. Confira a seguir dicas para ter um projeto eficiente, essenciais para a hora de realizar o que foi sonhado.

1. Total controle da obra

images (10)Crie um cronograma com as datas de todas as entregas, tanto de materiais quanto dos serviços prestados pelos profissionais contratados. Assim, se a cada etapa houver mudanças no planejamento de obras que impacte nos custos, você terá como coordenar as alterações no orçamento.

Supervisionar a reforma de casa durante cada um dos serviços prestados também é fundamental. Isso evita desperdícios e trabalhos mal feitos, o que gera gastos desnecessários e, consequentemente, compromete o orçamento de obras. Se você não puder, peça a alguém de confiança ou contrate uma empresa especializada.

2. Planilha de orçamento de obra

Uma simples lista de custos faz uma grande diferença. A partir dela você conseguirá administrar quanto quer e pode gastar com a reforma em casa. Como é uma forma organizada de estimar as despesas, pode te ajudar a negociar, definir prioridades e pesquisar para escolher materiais mais baratos do que aqueles idealizados no início.

Mas como fazer orçamento de obras? Basta montar uma tabela e listar nela todos os gastos com materiais e mão de obra, independentemente de se tratar de uma reforma de casas simples, reforma de apartamento ou mesmo uma pequena reforma de banheiro. Depois de tudo relacionado, acrescente 10% ao valor total para possíveis gastos extras.

3. Produtos práticos

Não faltam opções de produtos com tecnologias modernas, que facilitam as reformas de casas baratas por promoverem mais rapidez e economia. Os atuais rejuntes e argamassas, por exemplo, indispensáveis em uma obra, são fáceis de preparar e aplicar, dispensam mão de obra especializada e dão agilidade aos serviços.

4. Sustentabilidade

A ideia é usar sistemas construtivos e materiais menos agressivos ao meio ambiente, duráveis, com bom desempenho e preços mais acessíveis. Tal prática pode ser usada tanto durante as obras como no dia a dia das casas reformadas.

Quer bons exemplos? As lâmpadas de LED, bem mais duráveis e econômicas que as convencionais. A substituição da alvenaria por paredes de drywall, que garante obras mais rápidas e limpas para qualquer ambiente interno. E telhas de fibrocimento, duráveis, flexíveis e que reduzem custos.

Fonte: saint-gobain


Para mais informações e pedido de orçamento de FORROS, DRYWALL, PISOS E DIVISÓRIAS, deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

O piso vinílico e suas vantagens

O piso vinílico, também chamado de vinil, tem se tornado o preferido dos arquitetos. O produto garante um acabamento de qualidade para as construções, além do que é uma opção ecologicamente correta.

O piso vinílico pode ser encontrado em diferentes versões, como placas, mantas e tapetes. Sua colocação requer o trabalho de um profissional especializado, mas não faz muita sujeira e é muito prática.

Existem muitas vantagens de se trabalhar com pisos vinílicos. As peças são resistentes, não retém poeira, não mancham e nem absorvem líquidos com facilidade.

O vinil é um revestimento antialérgico, com alta durabilidade e que oferece segurança aos moradores da casa, afinal, ele não escorrega. Muitas pessoas escolhem o piso vinílico para revestir os ambientes porque ele contribui com o conforto térmico e também evita o velho “toc-toc” da madeira.

No mercado, é possível encontrar uma ampla variedade de pisos vinílicos. As peças se distinguem com relação às cores, texturas e espessuras. As diversas opções de acabamento são capazes de satisfazer as necessidades de diferentes projetos de construção.

O piso vinílico é considerado um produto sustentável porque é fabricado com materiais reciclados. O revestimento também tem a capacidade de imitar outros materiais de forma bem convincente, como é o caso da madeira.

Revestir com piso vinílico é vantajoso porque é fácil de limpar, ou seja, basta usar um pano úmido para remover a sujeira. A aplicação das peças também não é tão complicada em comparação com os outros tipos de pisos, basta escolher uma superfície uniforme e limpa.

O piso vinílico evita toda a sujeira da construção e representa uma alternativa econômica para a obra.

Como qualquer produto de construção, o piso vinílico também possui os seus pontos fracos. Na hora de escolher o acabamento, o consumidor deve evitar as versões com muitas ‘ranhuras’, afinal, elas criam dificuldades durante a limpeza.

Na hora de instalar o vinil sobre outros materiais, é importante tomar cuidado. A madeira, por exemplo, não aceita esta combinação, tal como as pedras irregulares. Já a cerâmica necessita de um tratamento especial para ser revestida com pisos vinílicos.

Quem opta pelo revestimento com piso de vinil precisa tomar cuidado com os objetos e móveis pontiagudos na decoração, pois eles podem cortar a manta e comprometer a aparência do espaço.

Fonte:mundodastribos.com


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

A importância do gesso antes da instalação do piso

O que é preciso fazer numa construção a maioria das pessoas já sabe, mas a grande dúvida de muita gente é a ordem que se deve adotar para cada serviço. Ao contrário do que se pensa, faz muita diferença começar por um serviço ou outro, isso porque dependendo daquilo que vai se fazer, um serviço pode estragar completamente o outro já pronto e até mesmo trazer danos materiais para o dono do imóvel. É por isso que hoje vamos falar sobre a importância de fazer o gesso antes de instalar o piso de madeira.

O gesso no teto e nas paredes

Nem todo mundo opta pela aplicação do gesso em sua obra ou reforma, porém, ele é utilizado por muitas pessoas porque deixa a parede muito mais lisa e com acabamento bem mais suave, valorizando a pintura. O gesso é utilizado tanto nas paredes como no teto.

Uma das preferências pelo gesso para acabamento final é porque ele é fácil de ser aplicado, não tem um custo muito alto e ainda é facilmente reparado caso sofra algum dano. Além de revestir a parede e o teto permitindo melhor toque e visual, o gesso ainda pode ser utilizado para vários detalhes que enriquecem a arquitetura e decoração dos espaços. Porém, mesmo trazendo tantas vantagens se não soubermos a hora certa de aplicar o gesso ele vai trazer muita dor de cabeça.

A hora certa de aplicar o gesso

Imagino que você esteja louco de vontade para ver como vai ficar seu piso de madeira novo instalado, não é mesmo? Mas, se você tiver muita pressa poderá se decepcionar com o resultado.

Imagine a seguinte situação: seu piso novo instalado, seja piso de madeira ou porcelanato. Limpo, brilhando, perfeito, sem nenhum arranhão. E em seguida um gesseiro derrubando massa, ferramentas, andando pra lá e pra com os pés sujos… Já deu pra imaginar o tamanho do estrago.

É por isso que o gesso sempre precisa vir antes do piso para que não tenhamos algumas surpresas desagradáveis como:

A-importância-do-gesso-antes-do-piso - ParquetSPManchas: considere sempre que o trabalho com gesso envolve água. Creio que você já sabe que piso de madeira e água não combinam de modo algum, certo? Muito menos água e gesso no seu piso de madeira! O trabalho com gesso pode causar manchas no piso e acabar com o mesmo.

Rachaduras: o gesseiro vai utilizar ferramentas diversas para conseguir fazer o trabalho. Vai passar com masseiras, vai utilizar escadas, réguas e ferramentas manuais. Considere tudo isso apoiado sobre seu piso de madeira novo, ou seu porcelanato delicado. Com certeza não vai dar nada certo e você corre o risco de encontrar rachaduras em função do serviço e do peso das ferramentas.

Peças soltas: anda pra lá e pra cá, arrasta isso e empurra aquilo, sobe e desce da escada, algum esforço de mal jeito numa tábua, e pronto, já está ela solta, acabada de instalar e já solta por que sofreu danos. Não é admissível isso, é?

Riscos: estes então serão certos se você fizer o serviço do gesso na parede e no teto depois de instalar o piso. Como disse anteriormente, o gesseiro vai utilizar muitas ferramentas, escadas e a masseira para conseguir preparar o gesso. Ele não vai conseguir trabalhar devagarinho para não riscar seu piso de madeira, afinal, certos movimentos são necessários e realmente não há como acreditar que o piso não sofrerá nenhum riso. Vai sofrer e muitos.

Além desses problemas, você terá um outro ainda maior depois de tudo pronto: limpar!

É por isso que o gesso na parede e no teto preciso ser feito antes de instalar seu piso de madeira ou qualquer outro material. O piso deve sempre vir por último, justamente porque enquanto há trabalho para ser feito as pessoas vão caminhar e transportar ferramentas e materiais por ali, então, para não ter problemas, o piso vem sempre depois!

Fonte: Parque SP

Para mais informações e pedido de orçamento para forros, pisos e divisórias drywall deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos: