4 dicas de economia infalíveis para a reforma de casas

Há um ponto sobre reforma e construção quase unânime para quem quer renovar o lar, principalmente no fim do ano: descobrir os segredos de fazer muito, mas gastando pouco. Se você também busca soluções econômicas, confira as dicas abaixo e inicie hoje mesmo seu orçamento de obras para a tão desejada transformação!

Planejamento é a chave do sucesso

A melhor forma de aliar beleza e qualidade a um orçamento reduzido é planejar. Isso ainda ajuda a evitar surpresas desagradáveis durante a obra. Confira a seguir dicas para ter um projeto eficiente, essenciais para a hora de realizar o que foi sonhado.

1. Total controle da obra

images (10)Crie um cronograma com as datas de todas as entregas, tanto de materiais quanto dos serviços prestados pelos profissionais contratados. Assim, se a cada etapa houver mudanças no planejamento de obras que impacte nos custos, você terá como coordenar as alterações no orçamento.

Supervisionar a reforma de casa durante cada um dos serviços prestados também é fundamental. Isso evita desperdícios e trabalhos mal feitos, o que gera gastos desnecessários e, consequentemente, compromete o orçamento de obras. Se você não puder, peça a alguém de confiança ou contrate uma empresa especializada.

2. Planilha de orçamento de obra

Uma simples lista de custos faz uma grande diferença. A partir dela você conseguirá administrar quanto quer e pode gastar com a reforma em casa. Como é uma forma organizada de estimar as despesas, pode te ajudar a negociar, definir prioridades e pesquisar para escolher materiais mais baratos do que aqueles idealizados no início.

Mas como fazer orçamento de obras? Basta montar uma tabela e listar nela todos os gastos com materiais e mão de obra, independentemente de se tratar de uma reforma de casas simples, reforma de apartamento ou mesmo uma pequena reforma de banheiro. Depois de tudo relacionado, acrescente 10% ao valor total para possíveis gastos extras.

3. Produtos práticos

Não faltam opções de produtos com tecnologias modernas, que facilitam as reformas de casas baratas por promoverem mais rapidez e economia. Os atuais rejuntes e argamassas, por exemplo, indispensáveis em uma obra, são fáceis de preparar e aplicar, dispensam mão de obra especializada e dão agilidade aos serviços.

4. Sustentabilidade

A ideia é usar sistemas construtivos e materiais menos agressivos ao meio ambiente, duráveis, com bom desempenho e preços mais acessíveis. Tal prática pode ser usada tanto durante as obras como no dia a dia das casas reformadas.

Quer bons exemplos? As lâmpadas de LED, bem mais duráveis e econômicas que as convencionais. A substituição da alvenaria por paredes de drywall, que garante obras mais rápidas e limpas para qualquer ambiente interno. E telhas de fibrocimento, duráveis, flexíveis e que reduzem custos.

Fonte: saint-gobain


Para mais informações e pedido de orçamento de FORROS, DRYWALL, PISOS E DIVISÓRIAS, deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

Anúncios

O piso vinílico e suas vantagens

O piso vinílico, também chamado de vinil, tem se tornado o preferido dos arquitetos. O produto garante um acabamento de qualidade para as construções, além do que é uma opção ecologicamente correta.

O piso vinílico pode ser encontrado em diferentes versões, como placas, mantas e tapetes. Sua colocação requer o trabalho de um profissional especializado, mas não faz muita sujeira e é muito prática.

Existem muitas vantagens de se trabalhar com pisos vinílicos. As peças são resistentes, não retém poeira, não mancham e nem absorvem líquidos com facilidade.

O vinil é um revestimento antialérgico, com alta durabilidade e que oferece segurança aos moradores da casa, afinal, ele não escorrega. Muitas pessoas escolhem o piso vinílico para revestir os ambientes porque ele contribui com o conforto térmico e também evita o velho “toc-toc” da madeira.

No mercado, é possível encontrar uma ampla variedade de pisos vinílicos. As peças se distinguem com relação às cores, texturas e espessuras. As diversas opções de acabamento são capazes de satisfazer as necessidades de diferentes projetos de construção.

O piso vinílico é considerado um produto sustentável porque é fabricado com materiais reciclados. O revestimento também tem a capacidade de imitar outros materiais de forma bem convincente, como é o caso da madeira.

Revestir com piso vinílico é vantajoso porque é fácil de limpar, ou seja, basta usar um pano úmido para remover a sujeira. A aplicação das peças também não é tão complicada em comparação com os outros tipos de pisos, basta escolher uma superfície uniforme e limpa.

O piso vinílico evita toda a sujeira da construção e representa uma alternativa econômica para a obra.

Como qualquer produto de construção, o piso vinílico também possui os seus pontos fracos. Na hora de escolher o acabamento, o consumidor deve evitar as versões com muitas ‘ranhuras’, afinal, elas criam dificuldades durante a limpeza.

Na hora de instalar o vinil sobre outros materiais, é importante tomar cuidado. A madeira, por exemplo, não aceita esta combinação, tal como as pedras irregulares. Já a cerâmica necessita de um tratamento especial para ser revestida com pisos vinílicos.

Quem opta pelo revestimento com piso de vinil precisa tomar cuidado com os objetos e móveis pontiagudos na decoração, pois eles podem cortar a manta e comprometer a aparência do espaço.

Fonte:mundodastribos.com


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

A importância do gesso antes da instalação do piso

O que é preciso fazer numa construção a maioria das pessoas já sabe, mas a grande dúvida de muita gente é a ordem que se deve adotar para cada serviço. Ao contrário do que se pensa, faz muita diferença começar por um serviço ou outro, isso porque dependendo daquilo que vai se fazer, um serviço pode estragar completamente o outro já pronto e até mesmo trazer danos materiais para o dono do imóvel. É por isso que hoje vamos falar sobre a importância de fazer o gesso antes de instalar o piso de madeira.

O gesso no teto e nas paredes

Nem todo mundo opta pela aplicação do gesso em sua obra ou reforma, porém, ele é utilizado por muitas pessoas porque deixa a parede muito mais lisa e com acabamento bem mais suave, valorizando a pintura. O gesso é utilizado tanto nas paredes como no teto.

Uma das preferências pelo gesso para acabamento final é porque ele é fácil de ser aplicado, não tem um custo muito alto e ainda é facilmente reparado caso sofra algum dano. Além de revestir a parede e o teto permitindo melhor toque e visual, o gesso ainda pode ser utilizado para vários detalhes que enriquecem a arquitetura e decoração dos espaços. Porém, mesmo trazendo tantas vantagens se não soubermos a hora certa de aplicar o gesso ele vai trazer muita dor de cabeça.

A hora certa de aplicar o gesso

Imagino que você esteja louco de vontade para ver como vai ficar seu piso de madeira novo instalado, não é mesmo? Mas, se você tiver muita pressa poderá se decepcionar com o resultado.

Imagine a seguinte situação: seu piso novo instalado, seja piso de madeira ou porcelanato. Limpo, brilhando, perfeito, sem nenhum arranhão. E em seguida um gesseiro derrubando massa, ferramentas, andando pra lá e pra com os pés sujos… Já deu pra imaginar o tamanho do estrago.

É por isso que o gesso sempre precisa vir antes do piso para que não tenhamos algumas surpresas desagradáveis como:

A-importância-do-gesso-antes-do-piso - ParquetSPManchas: considere sempre que o trabalho com gesso envolve água. Creio que você já sabe que piso de madeira e água não combinam de modo algum, certo? Muito menos água e gesso no seu piso de madeira! O trabalho com gesso pode causar manchas no piso e acabar com o mesmo.

Rachaduras: o gesseiro vai utilizar ferramentas diversas para conseguir fazer o trabalho. Vai passar com masseiras, vai utilizar escadas, réguas e ferramentas manuais. Considere tudo isso apoiado sobre seu piso de madeira novo, ou seu porcelanato delicado. Com certeza não vai dar nada certo e você corre o risco de encontrar rachaduras em função do serviço e do peso das ferramentas.

Peças soltas: anda pra lá e pra cá, arrasta isso e empurra aquilo, sobe e desce da escada, algum esforço de mal jeito numa tábua, e pronto, já está ela solta, acabada de instalar e já solta por que sofreu danos. Não é admissível isso, é?

Riscos: estes então serão certos se você fizer o serviço do gesso na parede e no teto depois de instalar o piso. Como disse anteriormente, o gesseiro vai utilizar muitas ferramentas, escadas e a masseira para conseguir preparar o gesso. Ele não vai conseguir trabalhar devagarinho para não riscar seu piso de madeira, afinal, certos movimentos são necessários e realmente não há como acreditar que o piso não sofrerá nenhum riso. Vai sofrer e muitos.

Além desses problemas, você terá um outro ainda maior depois de tudo pronto: limpar!

É por isso que o gesso na parede e no teto preciso ser feito antes de instalar seu piso de madeira ou qualquer outro material. O piso deve sempre vir por último, justamente porque enquanto há trabalho para ser feito as pessoas vão caminhar e transportar ferramentas e materiais por ali, então, para não ter problemas, o piso vem sempre depois!

Fonte: Parque SP

Para mais informações e pedido de orçamento para forros, pisos e divisórias drywall deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

Conheça a diferença entre Gesso acartonado e plaquinha

De grande utilização em projetos de interiores, os forros de gesso permitem distribuir pontos de luz, caixas de som, tubulações, grelhas de ar condicionado, entre outros.
Eles também permitem um melhor acabamento no encontro entre a parede e o teto.
Existem basicamente dois tipos de materiais para execução de forros de gesso: as plaquinhas e o gesso cartonado.
A qualidade do gesso acartonado é muito superior às plaquinhas. A única vantagem das plaquinhas é o preço.
Para ajudar aqueles que estão para escolher o material que vão utilizar, veja as vantagens do forro de gesso acartonado em relação ao forro de paquinha:
– Velocidade de execução muito maior: alta produtividade já que as placas são muito maiores;
– Manuseio mais fácil (transporte,carga,descarga) e montagem;
– São mais leves (25kg/m2-alvenaria-200kg.m2);
– Desperdício muito baixo;
– As placas de acartonado possuem garantia do fabricante;
– Superfície pré-acabada, facilita muito a aplicação do revestimento final;
– Resultado de forros bem lisos, sem ondulações nas emendas das placas, enquanto o forro de plaquinhas costuma ficar todo ondulado e cheio de trincas;
– Mais limpeza na obra já que as placas de gesso acartonado são parafusadas nos perfis e não exigem chumbamento.

Fonte: Casos de Casa


Para maiores informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

Os principais mitos sobre Drywall

1 – Drywall é resistente?

 

É comum a ideia de que o drywall não é um material resistente. Porém, apesar da pequena espessura das placas, os fabricantes asseguram que o material é capaz de resistir a tremores, choques e vibrações sem sofrer danos. Além disso, comporta a instalação de portas, absorvendo os impactos do dia a dia como movimentos e batidas.

Para garantir a alta resistência do material, recomenda-se que a instalação seja feita por profissionais especializados, tomando-se sempre cuidado para que o dimensionamento esteja adequado ao pé-direito da edificação. A espessura das placas estará condicionada a essa questão e também às cargas a que o sistema estará submetido (instalação de bancadas de pedra, móveis, etc.).

Em condições normais, a durabilidade do drywall é indeterminada. Cabe lembrar que para que esteja disponível no mercado, o sistema drywall foi aprovado em testes de impacto e desempenho, cumprindo as exigências da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

2 – Drywall e a umidade

 

Outra questão muito recorrente na discussão sobre o uso do drywall é quanto à sua resistência à umidade. Neste caso, tudo vai depender do ambiente em que o sistema será instalado e a condição de umidade do local.

O drywall foi desenvolvido apenas para uso em áreas internas, pois não suporta intempéries nem grandes cargas como telhados ou lajes. Porém, pode ser utilizado em áreas internas úmidas como cozinhas e banheiros.

Existem chapas desenvolvidas especificamente para esse fim, que contém em sua fórmula hidrofugantes (repelentes à água) que protegem a superfície contra respingos, derramamentos e vapor condensado. Essas placas também são conhecidas como “placas verdes”.

Em áreas constantemente molhadas, como box de banheiros, é necessária a impermeabilização da parede, que pode ser feita com mantas asfálticas.

A iluminação também é um elemento essencial! Confira como fazer o projeto de iluminação ideal para o banheiro

3 – Isolamento térmico e acústico

 

Ao contrário do que se pensa, as divisórias em drywall podem oferecer isolamento termoacústico. O produto por si só já possui bom isolamento acústico e desempenho térmico, porém pode-se aumentar o rendimento incluindo entre as chapas materiais fibrosos, como lã de rocha ou lã de vidro, atribuindo características de absorção, atenuação e isolamento de sons e estabilizando a temperatura.

Visando atender essas necessidades, os fabricantes desenvolveram linhas especiais de produtos específicos para cada tipo de situação. Para verificação dos índices termoacústicos dos diferentes tipos de chapas, as empresas disponibilizam tabelas com o desempenho de cada produto.

como-funciona-drywall-esquema-protecao-acustica

4 – Usos variados

 

O drywall pode ter muitas outras aplicações além de paredes e forros, porém sua versatilidade é pouco explorada pelos profissionais da área. O sistema pode ser utilizado tanto em projetos residenciais como em estabelecimentos comerciais ou industriais, em obras novas, reformas e retrofit.

Apesar do uso mais comum estar relacionado a paredes de vedação interna e forros, o drywall também é uma solução muito adequada para situações em que é preciso esconder tubulações (shafts), engrossar paredes, cobrir aberturas ou reparar algum erro de execução na obra.

De fácil manejo e montagem, o material também pode ser utilizado na montagem de móveis fixos, painéis artísticos, cortineiros e sancas, permitindo inclusive ser modelado em formato curvo.

5 – Instalação de objetos e móveis pendurados no drywall

 

Um impedimento que muitos profissionais alegam em relação uso do drywall é a suposta impossibilidade de se pendurar objetos nas paredes, assim como móveis e outros.

Esse é um dos grandes mitos sobre o drywall. Em condições de execução adequada, o sistema pode receber inclusive bancadas embutidas, desde que não ultrapassem a média dos 60kg/m2. Acima desse peso, deve ser executado um reforço na estrutura metálica com resistência adequada à carga que será recebida (que pode ser uma placa de madeira ou chapa metálica fixada entre dois perfis verticais de aço – os mesmos onde é parafusado o gesso).

Equipamentos como TV e ar condicionado tipo split também podem ser instalados nas paredes em drywall, assim como armários e móveis suspensos, quadros e outros objetos.

Geralmente os fabricantes indicam o uso de bucha de fixação específica para objetos de até 10kg. Para elementos de peso entre 10kg e 40kg devem utilizadas buchas fixadas nos montantes.

6 – Uso de revestimentos em parede drywall

 

Também contrariando o senso comum, paredes em drywall podem receber acabamentos e revestimentos como pintura, texturas, cerâmicas, pastilhas, laminados, madeira e outros. Nesse caso, o assentamento deve ser executado com massa específica para garantir a aderência do produto. Materiais muito pesados necessitam de cantoneiras para distribuir uniformemente as cargas nos montantes metálicos.

como-funciona-drywall-esquema-de-revestimento-banheiro

Como funciona drywall: esquema de revestimento de parede em drywall de banheiro

7 – Dificuldades de instalações elétricas/hidráulicas

 

Outra questão erroneamente difundida sobre o drywall é que ele não permite a passagem de tubulação para instalações hidráulicas, elétricas e de telecomunicação. Ao contrário do que se pensa, o drywall permite a introdução de eletrodutos e canos pelo interior de sua estrutura, através do sistema de fixação a pólvora em tetos ou aparafusadas em perfis de aço galvanizado.

Essa inclusive é uma grande vantagem do uso do drywall, já que na ocorrência de algum problema nessas instalações é muito fácil acessá-las para fazer os devidos reparos, sem a necessidade de quebrar toda a parede.

8 – Custos

 

“Drywall é mais caro que alvenaria”. Muito se ouve que construir com drywall tem um custo maior que construir com alvenaria de tijolos. Para uma correta avaliação, outros pontos devem ser analisados além do custo do material, entre eles o tempo de execução, o volume de mão-de- obra e o desperdício de materiais. Nesse caso, o drywall apresenta vantagens em todos os pontos.

Por ser um material de instalação rápida e fácil, diminui-se consideravelmente o tempo de execução do drywall em relação à alvenaria, além da alta qualidade do acabamento.

Como o sistema pode ser facilmente quantificado a partir do projeto, tem-se um uso mais racional do material, evitando o desperdício e gastos extras. A execução é muito limpa e gera custos significativamente menores de remoção de entulho. Enquanto a alvenaria produz cerca de 20% de resíduos de obra, o drywall produz apenas 5% e seus resíduos são 100% recicláveis.

Se você ainda tem dúvidas sobre as vantagens do drywall além dos pontos mencionados acima, outras vantagens também podem ser atribuídas ao uso do drywall, entre elas:

  • Espessura mais fina das paredes: o sistema permite a construção de paredes mais delgadas, com 10cm de espessura, proporcionando ganho de área útil na construção que pode chegar a 4%;
  • Resistência ao fogo e imunidade ao ataque de fungos e insetos;
  • Leveza: a chapa de drywall é mais leve que os materiais convencionais usados na construção civil, ocasionando menos peso nas lajes dos edifícios;
  • Maior flexibilidade no layout: devido à facilidade de construção e remoção, o drywall permite maior arranjo de divisórias internas, o que significa, por exemplo, mais opções de plantas em edifícios de apartamentos.

 

Fonte: Knauf


Para mais informações e pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

4 tipos de acabamentos para drywall

Quem disse que não se pode inovar com drywall?? Este sistema construtivo além de versátil e funcional é também esteticamente bonito e deixa seu ambiente mais elegante se usado com acabamento ideal para combinar com seu espaço. Vamos lá abaixo deixamos 4 tipos de acabamentos que podem ser usados nas paredes drywall sem medo:

PINTURA: como em alvenaria, as paredes de drywall podem ser pintadas normalmente com qualquer cor, com uma vantagem elas são lisas e não precisam de preparo para pintura.

CERÂMICA: sobre as placas de drywall recomendadas para uso de banheiro pode ser colocado azulejo ou cerâmica. Mas, cuidado! A fixação deve ser feita utilizando uma argamassa flexível tipo ACII ou ACIII.

TEXTURA: no drywall ainda pode ainda pode ser colocado textura sem medo, deixando seu ambiente ainda mais bonito e aconchegante!!

PAPEL DE PAREDE: por ter uma superfície lisa o drywall é ideal para receber papel de parede e deixar um acabamento perfeito! Apenas lembre-se de seguir as recomendações do fabricante para aumentar a durabilidade da aplicação.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Para mais informações sobre instalação e venda de placas de drywall deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos:

5 maneiras de usar drywall na decoração

Olá pessoal!! Para quem ainda não sabe o que é drywall, saiba que é o sistema de construção mais prático que consiste de placas em gesso que facilita e agiliza a construção de divisórias e paredes internas. Bom agora que você já sabe o que significa, fica aqui mais dicas de outras formas de usar o sistema drywall:

COMO SANCAS: imagesAs sancas feitas com drywall permite recortes e curvas dando mais liberdade a criação aos decoradores e arquitetos, além de ajudar na iluminação indireta, dando um toque especial.

 

 

kaza-80-arquiteta-sueli-adorniCOMO PAINÉIS: Você pode criar um grande painel com nichos iluminados e dar um toque especial a sua sala de estar, escritório, quarto do casal ou do bebê.

 

 

 

 

f5ce8351-0f9d-47e1-9a11-4f7a9810ff12HOME THEATER: Para esconder fios da TV e aparelhos eletrônicos, nada melhor que um home theater feito de drywall, além de estético ajuda também na acústica do ambiente.

 

 

lareira-revestimento-drywall.jpgLAREIRA: Uma prova da resistência do drywall é a possibilidade de se construir um lareira e para dar um toque de acabamento pode colocar granito ou placa cimentícia.

 

 

d7b071a717cfab2ca60cef3bf840126cBANCADAS DE BANHEIRO: Outra prova da resistência é o uso em lugares úmidos como o banheiro. Você pode criar uma bancada toda em drywall.

 

 

 

 

 

 

 


Para mais informações é pedido de orçamento deixe seus dados no formulário abaixo que em breve retornaremos: